Netmenu Portal de Gastronomia

Cria o teu cartão de visita

Beira Alta
Restaurantes visitados:
Muralha da Sé
Resumo do Passeio
  • Região Beirã
  • Vale do Vouga
  • Vale de Cambra, Oliveira de Frades, S. Pedro do Sul e Vouzela
  • Rio Vouga
  • S. Pedro do Sul
  • Nelas
  • Tondela
  • Viseu
  • Passeio completo
    Apesar dos perigos desse trajecto tão falado que é o IP5, que liga Aveiro até lá acima à fronteira de Vilar Formoso, é sempre um chamamento vaguear por essa imensa região beirã. Agora um pouco mais difícil ou, pelo menos, demorado, pois o IP5 está a sofrer obras importantes logo ali depois do seu cruzamento com a antiga Estrada N1, em Albergaria, e vai estar interrompido por mais alguns meses. As alternatives são ir até Águeda e depois subir pela 333 que nos leva de volta ao IP5, ou então fazer aquele trajecto lindíssimo que é a velha estrada do Vale do Vouga, por muitos conhecida pela estrada das quinhentas curvas, o que diz tudo. E vaguear por ali acima, revendo Vale de Cambra, Oliveira de Frades e S. Pedro do Sul e parando em Vouzela para comprar os deliciosos pasteis de Vouzela, ainda confecionados à maneira antiga. É uma paisagem exuberante de vegetação, com o rio Vouga ali apertado entre ravinas, espraiando-se de onde a onde em praias fluviais que se usufruem nos meses de Verão. Por aqui também se vai fazendo alguma canoagem, mesmo durante os meses de Inverno, havendo alguma oferta hoteleira, sobretudo em S. Pedro do Sul com as suas termas famosas.

    Retomando o trajecto do IP5, agora com o complexo do Caramulo a tomar conta da paisagem, vamos dirigir-nos para a cidade de Viseu, cidade bem antiga, plena de história, que merece uma visita demorada, se possível com uma pernoita. Mas já lá vamos, pois é da mais elementar justiça que se fale desta importante região vinícola que é o Dão, de que Viseu é o centro nevrálgico. Em tempos foi a mais importante região vinícola do país, onde foram produzidas algumas das mais importantes colheitas da nossa história do vinho. Cedo, no entanto esta homogeneidade se começou a desagregar, graças a algumas produções menos criteriosas, onde importava mais a quantidade do que a quaildade, e mesmo devido ao abandono de muitas das melhores vinhas da famosa região.

    Mas felizmente que a situação mudou e que, graças a pessoas dedicadas e empenhadas, como os técnicos de uma instituição de investigação vinícola sediada em Nelas, e a grandes empresas que na última década apostaram na qualidade das castas da região, e ali resolveram investir, o vinho do Dão em geral regressou à sua categoria, que lhe pertence por direiro. E há mesmo alguns produtores de quinta que atingem níveis excepcionais nos vinhos que apresentam, a merecer perfeitamente estar ao lado dos melhores vinhos do Douro, de Palmela, da Bairrada ou do Alentejo.

    Por isso dê um salto ali a Tondela, ou à deliciosa aldeia de Silgueiros, em cuja Adega Cooperativa se produz um dos melhores tintos da região. Ou ainda um pouco adiante a Penalva do Castelo e visite a Casa da Ínsua, uma sociedade agrícola a produzir já há alguns anos dois excelentes vinhos, um branco e um tinto, que deve trazer para casa, bebendo o branco e guardando o tinto, que vai envelhecer durante alguns anos. Mas abra já uma ou duas garrafitas só para ver como é que se porta.

    E vamos então passear pela cidade de Viseu, principalmente pela sua zona histórica, só para peões, o que se saúda vivamente. Embora ainda estejam a decorrer obras importantes relativas ao programa de recuperação deste património histórico notável, percorrer as ruas e ruelas seculares de Viseu é reviver um pouco da nossa história de antanho. Não faltam locais para visitar ou revisitar, mas uma visita cuidada ao museu Grão Vasco é essencial, onde poderemos apreciar entre outras coisas, uma mostra de pintura portuguesa dos últimos séculos que não se deve perder. A seu tempo aqui decorrerão as festas de S. Mateus, com mostras diversas, e onde não faltam os comes e bebes.

    E em Viseu funcionam alguns restaurantes de grande qualidade. Em tempos ali nos deslocavamos propositadamente para uma visita no já desaparecido restaurante

    Sugestão apresentada em Outubro 2015
    mais passeios Enviar comentário         Recomendar a um amigo

     

     

    Palavra a Pesquisar

    Que tipo de "workshops" acha mais apetecível?
    Workshop de Vinhos Licorosos da Madeira
    Workshop de Vinhos do Porto

    Um trajecto fantástico no Douro...

    Vila muito antiga e de grande história